Nos 80 anos de Jimmy Page, ouça cinco momentos incríveis do eterno guitarrista do Led Zeppelin

Músico se dedica a manter vivo o legado de uma das maiores bandas do planeta

Nos 80 anos de Jimmy Page, ouça cinco momentos incríveis do eterno guitarrista do Led Zeppelin
Nos 80 anos de Jimmy Page, ouça cinco momentos incríveis do eterno guitarrista do Led Zeppelin (Foto: Reprodução)

Neste 9 de janeiro de 2024, Jimmy Page, o eterno guitarrista do Led Zeppelin, chega aos 80 anos. Ao contrário de outros colegas "oitentões", como Mick JaggerKeith Richards e Paul McCartney, o músico leva uma vida mais discreta, fazendo raras aparições públicas e trabalhando para manter vivo o legado da banda que revolucionou não só o rock como toda a indústria da música.

Nos poucos anos em que esteve ativo, entre 7 de setembro de 1968, quando estrearam no palco ainda como "The New Yardbirds", e 25 de setembro de 1980, data da morte do baterista John Bonham, que selou o fim do quarteto, o Zeppelin fez muito.



A banda bateu recordes de público, vendeu milhões e milhões de discos, foi talvez o primeiro grande nome, a partir de certo momento, a lançar álbuns com maior intervalo de tempo entre eles e muito mais - o grupo mudou a relação entre artistas e promotores de concertos ao passar a ganhar nada menos que 90% da renda dos shows. Eles também foram pioneiro no uso de telões em espetáculos ao vivo ao fazerem uso da tecnologia em 1975.

Quando montou a banda, Page já tinha uma longa experiência como músico de estúdio, tendo tocado em centenas de gravações do pop britânico e (inicialmente) como baixista e depois guitarrista dos Yardbirds, com quem ele gravou apenas um LP.



O Zeppellin nasce depois que a banda implode e o empresário Peter Grant se vê com o nome Yardbirds em suas mãos. Ele sugere que Page monte um novo grupo para cumprir algumas datas na Escandinávia. O músico recrutou o baixista John Paul Jones, outro veterano dos estúdios ingleses, e os novatos John Bonham e Robert Plant. O resto, como diz o clichê, é história.

Confira cinco momentos incríveis de Jimmy Page:

"Dazed And Confused"



Nos shows do Led, todos músicos tinham um espaço para brilhar acima dos outros. No caso de Page, esse momento ocorria em "Dazed and Confused", um dos destaques do álbum de estreia da banda (1969). Se no vinil a faixa tinha pouco mais de seis minutos, ao vivo ela poderia facilmente quadruplicar ou quintuplicar essa duração, dependendo da inspiração do grupo. Era aqui também que Page fazia uso de um de seus grandes truques: o de tocar a guitarra com um arco de violino.



"Whole Lotta Love"



Outra música que ao vivo podia se estender por vários minutos, com Page aproveitando para se divertir no teremim na parte instrumental, "Whole Lotta Love" é um dos momentos definitivos da história do rock.

Com seu riff simples e potente a faixa flagra a banda vivendo seu momento definitivo: aquele em que o sucesso de verdade já é palpável e o material composto é forte o bastante para carregá-lo para o novo patamar.

O grupo sempre se manifestou contra o lançamento de compactos, dizendo que para serem melhor compreendidos era necessário ouvi-los em LP. Mesmo assim, WLL saiu em single em alguns mercados e se tornou o maior sucesso do Zeppelin na parada da Billboard, onde ela chegou ao quarto lugar. Na Inglaterra, a Atlantic esperava lançar uma versão editada da música em compacto, e alguns discos chegaram a ser prensados antes que a banda, e seu empresário, proibissem o lançamento.

"Whole Lotta Love" também está entre canções do grupo que foram acusadas de terem sido plagiadas. Nesse caso, a "inspiração" teria sido "You Need Love", de Willie Dixon, gravada pelo bluesman Muddy Waters. Dixon processou a banda e entrou em acordo, com seu nome passando a cosntar entre os compositores.


Comentários (0)